Anatomia e Fisiologia da Pesquisa

Quando falamos em anatomia e fisiologia de uma pesquisa científica, estamos nos utilizando do mesmo conceito de anatomia e fisiologia de um organismo para explicar do que uma pesquisa é feita (anatomia) e como ela funciona (fisiologia).

O ponto inicial de um protocolo de pesquisa – aquele pelo qual devemos começar os nossos “brainstormings” – deve ser a questão de pesquisa. Este é o objetivo do estudo, a razão pela qual decidimos iniciar nossas pesquisas.

A questão de pesquisa deve iniciar de uma preocupação geral e aos poucos deve se tornar mais específica. Nós devemos buscar uma resposta que contribua para a produção de conhecimento científico.

“Ok. Mas e daí?”

Toda pesquisa deve sobreviver a este questionamento.

O acrônimo FINER reúne as cinco características básicas de uma boa questão de pesquisa. Ela deve ser Factível, Interessante, Nova, Ética e Relevante.

Ao falar em “relevância” estamos falando da justificativa do estudo. Por que esta pergunta deve ser respondida? A relevância mostra como o estudo se insere em um contexto maior. A partir daí, apontamos outros estudos anteriores e suas limitações e questões pendentes. Nessa fase do protocolo, após ampla pesquisa da literatura, a questão de pesquisa pode ser alterada.

Devemos então começar a desenhar o estudo. De acordo com a sua pergunta, qual o desenho mais adequado? Podemos utilizar estudos observacionais (coorte, transversal e caso-controle) ou ensaios clínicos (randomizados ou não, cegos ou não).

O padrão ouro para estabelecer causalidade e efetividade é o ensaio clínico randomizado cego, porém muitas vezes o único desenho factível à nossa pergunta pode ser o observacional. O caso-controle é mais atrativo para desfechos incomuns, sendo de relativo baixo-custo.

Após definir o desenho e a pergunta do estudo, devemos pontuar estes tópicos em apenas uma frase simples e direta, como por exemplo: “trata-se de um estudo observacional transversal…”

Outro ponto importante a ser definido é a amostra. Quais são os sujeitos do estudo (critérios de inclusão e exclusão) e como eles devem ser recrutados para participar do estudo.

As variáveis a serem estudadas podem ser independentes (preditoras – que não alteram – gênero, idade, histórico pessoal) ou dependentes (de desfecho – comorbidades, qualidade de vida).

Quase finalizando o protocolo, depois de saber quase tudo sobre a anatomia da sua pesquisa, está na hora de pensar na Análise Estatística. Ela serve para estimar o tamanho amostral, auxiliar no manejo e interpretação dos dados e para especificar as hipóteses.

Esses são os pontos anatômicos do seu projeto de pesquisa. Agora está na hora de falar em Fisiologia.

A meta da Fisiologia da Pesquisa é inferir a partir dos resultados. Queremos poder afirmar, a partir de uma amostra estudada, que aquela verdade encontrada é aplicável para toda a população. Com isso estamos falando em Validade Interna (verdade do estudo) e Validade Externa (capacidade de generalização – verdade no universo). Por isso é tão importante estruturar o estudo antes de iniciar a pesquisa, pois quando a amostra e as variáveis pretendidas não representam a população-alvo e os fenômenos de interesse, ocorrem erros que poderão distorcer as inferências sobre o que realmente ocorre na população.

O erro aleatório acontece devido ao acaso e leva a distorções para ambas as direções. Para evitá-lo, devemos aumentar o tamanho amostral. O erro sistemático ocorre devido a um viés no estudo e faz um desvio para determinada direção. Existem ainda erros de aferição, que ameaçam inferências das aferições do estudo para os fenômenos de interesse e ocorrem devido a uma coleta mal conduzida, por exemplo.

Diante de todos estes conceitos já podemos iniciar a redação do anteprojeto, que é o esboço inicial da pesquisa e serve como checklist padronizado para lembrar de todos os pontos essenciais.

Segue agora um resumo de tudo o que foi exposto neste post, que pode ser usado como checklist para o início do seu projeto. Bons estudos!

Questões de Pesquisa Que questões o estudo abordará?
Relevância Por que essas questões são importantes?
Delineamento:

-Eixo temporal

-Abordagem epidemiológica

Como o estudo é estruturado?
Sujeitos:

-Critérios

-Desenho amostral

Quem são e como serão selecionados?
Variáveis:

-Preditoras

-Confundidoras

-de Desfecho

Que medições serão realizadas?
Aspectos Estatísticos:

-Hipóteses

-Tamanho de amostra

-Abordagem analítica

Qual o tamanho do estudo e como ele será analisado?

*Texto originalmente publicado no blog http://www.doencasdacolunavertebral.wordpress.com

Fonte: Hulley SB, Cummings SR, Newman TB. Introdução: Anatomia e Fisiologia da Pesquisa Clínica. In: Hulley SB, Cummings SR, Browner WS, Grady DG, Newman TB. Delineando a Pesquisa Clínica: Uma abordagem epidemiológica. Porto Alegre: Editora Artmed, 2008. p.21-33.

Anúncios